ED61 - Fevereiro 2014

"A esperança da mudança,não é preciso conhecer para mudar, é preciso coragem para seguir em frente. Cada passo um recomeço, e a cada recomeço uma nova história, seguir em frente sem olhar para traz, e nunca se esquecer, aqueles que estão ao seu lado, talvez precisam de você, mesmo sem você ver!" Pamela Sobrinho

Fevereiro

BUQUÊ SUBULATA
Tiago Henrique - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. - thvirtual.com
A MÁGICA DE UM ATOR (página 70)

Eu poderia dizer
Que estou amando o universo,
Eu deveria falar
Que a vida é linda
E que eu só vejo flores

Que sim
Que a vida é um mar de rosas
Que as coisas são belas
E que tudo pertence aos amores verdadeiros

Eu tinha de escrever
Que o mundo é justo,
O céu é o limite
E as estações são todas como primavera

Posso dizer palavras lindas
Te fazer frases eternas
Celebrar tua alegria
E brindar suas conquistas

É verdade...
Seria melhor assim
Mas descobri
Que não sou vendedor de ilusões

Portanto,
Fique com a realidade de alguns versos
E sinta de verdade
O corte doloroso da perda

COLUNA DA PAMELA

Pamela Sobrinho - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

DESAPARECIDOS, ESSA É UMA LUTA DE TODOS

Milhares de pessoas somem diariamente no Brasil, não existem números concretos sobre quantos milhares de brasileiros e brasileiras desaparecem, para se ter uma ideia da dimensão do problema, dados da delegacia de pessoas desaparecidas de São Paulo, que é vinculada a Delegacia de Homicídios, estima que 18 mil paulistanos sumam ao ano, uma reportagem do jornal O Globo de 2012, diz que a cada 11 minutos uma pessoa some no Brasil e que somente em 2011 mais de 51 mil pessoas desapareceram, todos os casos com o Boletim de Ocorrência registrados, mas há ainda aquelas que não tem os dados informados a policia.

A falta de informação concreta acontece porque não há um sistema unificado para cadastro de pessoas desaparecidas, com isso, se uma pessoa desapareceu num estado, a informação não é repassada aos demais estados da Confederação, com isso, dificulta as buscas pela vitima, não há nenhum apoio à família da vitima, muito menos ajudas extras com as buscas, os cadastros ficam desatualizados e não há divulgações em mídias de grandes circulações.

Hoje, além dos esforços da policia, o sucesso das buscas depende muito do empenho das famílias em gastar seu tempo e dinheiro para se dedicar as buscas. As mídias sociais, junto com as ONG’s são de grande ajuda para as buscas, pois de uma maneira rápida, milhares de pessoas no mundo todo podem ter acesso às informações dos desaparecidos, entretanto, se não houver um empenho da policia, os apelos se tornam inúteis.

Todos devemos estar unidos nesta causa, pois estamos sujeitos a passarmos por esse tipo de problema. Então peço a vocês leitores, abram seus olhos para o que está acontecendo, vamos nos mobilizar para ajudar tantas pessoas que sofrem diariamente sem noticias de seus entes queridos, vamos denunciar, compartilhar, vamos exigir reformas. Tendo em vista isto, estão sendo recolhidas assinaturas para a criação de um projeto de lei vem para auxiliar a busca por desaparecidos, como a criação de delegacias especiais, cadastros unificados e dados confiáveis, as assinaturas estão sendo recolhidas no site abaixo, conto com a ajuda de todos para mudarmos as leis e proporcionar soluções!

http://www.abaixoassinadobrasil.com.br/site/assine/

COLUNA DO VITOR

ENGANADOR E CORRUPTO
Vitor Melo - www.vitormeloescritor.blogspot.com

Tente imaginar a seguinte cena: você está caminhando pela rua e, de repente, se depara com outra pessoa. Não se trata de um desconhecido e sim de alguém cuja índole é marcada pelo engano, a mentira e a hipocrisia, isto é, um lobo vestido em pelo de cordeiro, como se diz popularmente. Ora, será que o leitor seria insensato a ponto de ouvir um conselho ou qualquer tipo de palavra de um indivíduo com um caráter semelhante a esse?

A resposta mais obvia é não, no entanto, se avaliarmos cuidadosamente a conduta de cada um, se chegará à conclusão de que 99.9% dos seres humanos têm feito isso. A humanidade em um contexto geral está “viciada” (isso mesmo, se tornou um vício) em ouvir a voz dos sentimentos e se conduzir por meio dos impulsos emocionais, enquanto o coração é descrito como a fonte do engano e da corrupção: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jeremias 17. 9).

Quantas vezes o maldito coração impulsiona o ser humano a amar quem lhe tem apenas desprezado e desprezar que tem lhe demonstrado o verdadeiro amor? Quantos são os casamentos que foram feitos a base da emoção e hoje estão destruídos, bem como os cônjuges que se encontram reféns do ódio e da amargura. O fato é que os mesmos sentimentos enganadores que levou o casal a oficializar sua união, também os têm levado a rompê-la quando sobrevêm as tempestades. Seria isso inteligente?

O sofrimento de muitos está diretamente relacionado à falta de domínio sobre os desejos e inclinações do próprio coração. E digo mais: muitas pessoas são religiosas e não veem resultado da crença professada porque associam a fé que possuem as emoções; estão mais preocupados com o que sentem ou deixam de sentir do que com o que Deus falou, razão pela qual nunca estão satisfeitas com nada. Ainda que conquistem mundos e fundos nada é capaz de preencher o vazio que sentem, pois não conhecem o Autor da felicidade: “O que confia no seu próprio coração é insensato, mas o que anda em sabedoria será salvo.” (Provérbios 28. 26).

Até a próxima!

ESPAÇO ABERTO

A Morte do Rio Betim
Mario Jaymowich Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Nos anos noventa me lembro dos meus pais me dizendo; - Menino, cuidado com o rio, ele esta cada vez mais poluído e perigoso. Eu nadei no rio Betim, próximo ao bairro santa cruz na região do Laranjeiras, ali também haviam catadores de areia, um frigorifico e alguns resquícios de vida.

Meus avós nadaram e pescaram naquele rio, que hoje se tornou um córrego.

Tive a alegria de poder ver peixes, tartarugas e muitas aves ... ainda em meados de 2000, o fato é que o rio foi abandonado e apesar de cortar toda a cidade e desaguar numa “cachoeira” eu e muitos Betinenses lamentos a morte do nosso rio, que guarda muitas historias e curiosidades sobre nosso chão.

A sub-bacia do rio Betim é formada pelos córregos Imbiruçu e Saraiva, pelos riachos das Pedras e das Areias e pelo rio Betim. Está localizada no território da sub-bacia a sede municipal de Betim e parte do município de Contagem, sendo área total de seu território de aproximadamente 245 km². (IBGE, 2007).

Betim é a cidade mais populosa da bacia do Paraopeba. Devido principalmente ao recebimento de esgotos sanitários sem qualquer tratamento e de uma enorme quantidade de efluentes líquidos industriais, alguns sem tratamento na tecnologia mais adequada, o rio Betim é um dos que mais contribui para a poluição e contaminação do rio Paraopeba.A população não pode mais aceitar a morte do rio Betim com naturalidade, todo o planeta clama por sustentabilidade e a água é vital nesse processo. Devemos cuidar do nosso rio, ou o que ainda resta dele, e exigir das autoridades uma intervenção sustentável, além das capinas e maquiamento que acontece faz anos.

Carnaval
Mario Jaymowich Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Olinda! eu vou subir a ladeira pra te ver e vou subir a pé.
Quando eu botar o bloco na rua, seja o que Deus quiser.
Na rua do meio, na pitomba ou na praça Miltom Campos.
Na torre, na quadra, na Afonso Pena, Coração.
Entres esquinas, bares, quadras e praças, a gente se acha
E mistura tudo, entre Santos, beijos e crenças.
No fim todos seremos perdoados, basta a rendição.
Dias de isenção, entre Pelourinhos, Lapas e Sés.
Avenidas, escolas, blocos, folia!
Brasil. Eleições, samba, carnaval, futebol e manifestações.
Elegemos o nosso rei momo e nossa rainha de bateria também.
Olinda! eu vou subir a ladeira pra te ver e vou subir a pé.
Quando eu botar o bloco na rua, seja o que Deus quiser.


COMO APRECIAR UMA MADRUGADA QUALQUER
Leo Meinberg - http://indefinidoincomum.blogspot.com.br/

Sobre estar no fim do poço

Dalí do topo de lugar algum,
um salto e seria a morte.
E é para isso que os topos servem:
para serem escorregados
e devolver-nos aos nossos próprios fins de poço.

Não há topo sem respectivo poço.
E são os poços
que nos apresentam o Grande Mundo.

Mas não lamente os poços!
que te fizeram viver e respirar o carbono e a derrota.
Lamente os topos
que, malditos, te fizeram sonhar
e acreditar que desta vida
poderia-se colher e plantar
felicidade e plenitude

Lamente a mentira
de que em vida há algo além de fel.
Lamente o fungo (chamado sonho)
que te consome, asqueroso.

É necessário pertencer ao mundo
percorre-lo sobre locomotivas
ensurdecer com os motores
e asfixiar-se de carbono
para descobrir que o que corrói a vida são os sonhos
e os breves falsos momentos de esperança
que este estúpido poeta chamou de "topo".

/ "fim do poço"

RELEASE

Grupo Moral da Historia
- Mario Jaymowich Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Ouvia-se muito “Demônios da Garoa”, “Martinho da Vila”, “Agepê”, entre outros. Antes da formação do grupo, Silvana Martins era acompanhada por Teco Martins que tocavam entre uma música e outra, um samba raiz.

Foi quando Sergio Kibe, também cantor, começou a tocar pandeiro, e juntou-se a eles. Depois vieram participar do grupo,Ivan Rodrigues, no tan tan e recentemente Warlei Rodrigues no Surdo.

Com um estilo próprio de cantar e tocar, o grupo Moral da Historia faz questão de uma comunicação direta com o público,procurando passar muita energia em suas apresentações. O grupo toca um repertorio com clássicos do samba e procura sempre contextualizar as músicas com o momento, variando o modo de execução e interação nas apresentações, o que torna cada show uma surpresa para o publico.

Uma agradável leitura do samba. Contato Para Shows: (31) 8594 - 4964 Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

Biblioteca Comunitária Retorna com suas atividades no Parque Ecológico

A Leitura está de volta ao Parque Ecológico Chico Mendes, a biblioteca Cantinho dos Sonhos retoma suas atividades a partir do dia 05/02/2014.
Mais informações: Instituto GRIASC de Assistência Social e Educacional Fone: (31) 3597-2832

UMA GRANDE BANDA
Pamela Sobrinho

Para quem curte o bom Rock n' Roll, e principalmente com uma pegada Heavy, vai amar uma banda que eu tive o prazer de conhecer, o som dos rapazes é ótimo, e digo que não é fácil me agradar, vale a pena sim ouvir as musicas deles. Vou passar para vocês um pouco mais da banda e seus contatos.Espero que apreciem.

Banda: Bravum
Para ouvir suas músicas: https://soundcloud.com/bravum

Palavra do dialeto Iorubá, o bravum representa um determinado ritmo das celebrações afro-religiosas, caracterizado por batidas fortes executadas no "Rum" (o maior dos três atabaques utilizados nesses rituais).Do bravum, fez-se BRavum, abrasileirado, desafinado e complexo. Uma aversão às regras musicais, a BRavum prefere ser espírito a ser teoria. Ser musicalmente verdadeira. Desde 2010, o trio formado por Cyrano Almeida, Thiago Fonseolli e Zeca Xavier propõe uma sonoridade crua e direta, com letras cheias de um contundente lirismo urbano. Melancolia e excitação se misturam como bebidas quentes, colidem com a vontade de se apartar e se escondem no que é, talvez, o óbvio.

Integrantes:
Cyrano Almeida - Bateria
Zeca Xavier - Baixo
Thiago Fonseolli - Guitarra, violão, teclado e voz

Telefone: (38)91316403
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Origem: Montes Claros - mg (Brasil)

Bravum

SESSÃO ESPECIAL

Realese Betim Shopping
Kamilla Abreu - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Fevereiro é mês de Liquidação "Tudo Leve Tudo" no Betim Shopping

As lojas do Betim Shopping participarão da liquidação “Tudo Leve Tudo” nos dias 7, 8 e 9 de fevereiro. Neste período, os empreendimentos do shopping apresentarão descontos imperdíveis nas peças de primavera/verão.

Jovem escritor tem apoio do Betim Shopping.
Livro do escritor betinense Victor Alves será lançado dias 14 e 15 de fevereiro

Engajado com as questões culturais, o Betim Shopping apoia o lançamento do livro “O Décimo Primeiro Dia”, escrito por Victor Alves. O evento acontecerá nas dependências do shopping dias 14 e 15 de fevereiro, às 18h e 17h,respectivamente.

Bate-Bola com Victor Alves: Por Kamilla Abreu

Desde quando você mora em Betim?
Moro em Betim com meus pais desde que nasci em 17 de maio de 1988.

Qual a importância de ter o apoio de empreendimentos como o Betim Shopping?
Todo o trabalho realizado por mim até o momento foi suficiente para ver minha obra impressa e pronta para ser lida por várias pessoas, porém ainda faltava um meio de atingir este público em potencial. É exatamente nesse ponto que o Betim Shopping entra, cedendo o espaço para o lançamento e ajudando com a divulgação, tornando maior o alcance da história que criei..

Como surgiu a ideia de escrever este livro?
Sempre gostei muito de ler. Desde criança lia os livros indicados pelos professores e outros tantos que julgava interessante pelo simples prazer de conhecer novos universos. Esse contato estreito com a literatura acabou me fazendo imaginar desfechos alternativos para as histórias ou detalhes que poderiam torná-las ainda mais interessantes. A primeira ideia sobre o livro que escrevi foi exatamente o final, algo do tipo "E se um livro terminasse desse jeito?" Isso me deixou animado para pensar tudo o que deveria ocorrer até esse desfecho e então a história foi ganhando forma em minha mente. Baseado nas carreiras de outros escritores, alguns deles bastante jovens, decidi tentar colocar minhas ideias no papel e ver como me sairia. Foi uma experiência que me agradou muito e ver a quantidade de páginas escritas aumentar a cada dia em que eu me dedicava criou uma grande expectativa de imaginar as pessoas lendo o livro. Assim a história ficou pronta e eu passei a procurar um meio de publicá-la. O enredo em si é de um estilo que considero muito interessante. Fala sobre um homem chamado Alexander Dantte. Ele se envolve em um acidente automobilístico durante uma viagem e é detido pela polícia local para aguardar a conclusão das investigações e ser levado à julgamento. Durante esse período, ele passa a ouvir vozes que o atormentam enquanto tenta dormir, por isso é internado em um hospital psiquiátrico onde é tratado pelo psiquiatra Gabriel Lightwings, que o entrevista durante os dez dias de enclausuramento tentando buscar a origem dos problemas de Alexander. A partir daí, a história se divide em duas linhas, uma delas contando a rotina de Alexander dentro do hospital e outra contando a história de sua vida de modo que o leitor possa entender os motivos que o levaram até aquele lugar. No décimo primeiro dia ocorre o julgamento, porém não contarei mais detalhes para não estragar a experiência de ler o livro.

Você acredita que o apoio e o incentivo do Betim Shopping em jovens talentos, como você, influencia outras empresas a ter a mesma atitude? E como você analisa esta situação?
A divulgação da cultura, principalmente daquela que nasceu no nosso próprio país, é algo muito interessante para toda a população, pois remete diretamente à educação. Ler torna as pessoas mais cultas. Com certeza esta ação do Betim Shopping servirá de incentivo para vários empreendimentos.

Você acredita que, atualmente, pequenos escritores possuem muita dificuldade para publicar seus livros? Por quê?
Muitas vezes, ao falar sobre o livro com algum amigo, acabei por saber de algumas pessoas que haviam escrito algo ou que queriam escrever e que acabavam considerando a publicação um sonho longe demais para ser realizado, por isso preferiram deixar de lado. Realmente é um pouco difícil começar uma carreira como escritor, normalmente é necessário arcar com os custos do próprio bolso e várias editoras com as quais entrei em contato cobram um valor relativamente alto para algo que seria uma primeira tentativa. Por indicação de um amigo, fiz contato com uma editora que trabalha com pequenas tiragens, normalmente 100 livros, e encontrei condições mais favoráveis para poder fazer todos os trabalhos necessários, desde a capa até a impressão, e agora, com o apoio de algumas empresas (entre elas o Betim Shopping)estou prestes a lançar meu primeiro livro, o que é uma grande realização.


COLUNA VEGETARIANA
Assista: http://www.terraqueos.org/


*FAÇA DOWNLOAD DE TODAS AS EDIÇÕES DA RBC, CLIQUE AQUI
(http://www.4shared.com/dir/9mm2HE1N/RBC_Memria.html)

EDIÇÃO PUBLICADA POR
PAMELA SOBRINHO ( Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. )