ED - Outubro 2015

"Que outubro venha com bons ventos, que me traga sorte e amor, que não me deixe sofrer, por favor..." Caio Fernandes Abreu

outurbo

BUQUÊ SUBULATA
Tiago Henrique - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. - thvirtual.com
RIQUEZA ESTÚPIDA (Página 82)

Hoje não,
Não sei o que acontece

Um estado incompreensível
Um peso em minhas costas
Um fardo em minha mente
Um arcabouço entorpecente

Esperava você aqui
Dentro de mim
Te encontrei – lhe destruí

Me encontrou – me destruiu

A insistência nem sempre é virtuosa,
Aliás,
Chega muitas vezes ao cúmulo da estupidez
E como bom estúpido que sou
Vou brindar momentos pálidos
E sorrir depois do discernimento

Tudo isso
Para justificar
Uma falsa sabedoria
Fruto da desculpa ininterrupta
Vedada por olhares intrometidos

NÃO
Não...não...não... não

Ham!
Acho que simulei a descompostura
De um estado perfurantemente pobre.


COLUNA DA PAMELA

SETEMBRO

Se lembra daquela manha de sol, que mudou minha vida para sempre
Não queria que setembro nunca terminasse para que nunca deixasse
De olhar seus olhos bem no fundo, de maneira que eu visse sua alma
Pra mim o verão chegou, você não notou?


Foi olhando no fundo da sua alma, que eu percebi que havia algo mais sagrado naquele momento,
Não era apanas dois seres se entreolhando foi o encontro de duas almas separadas pelos momentos
E por suas epocas e que o destino se encarregou de juntá-las
Quando você se virou, notei minha vida passando num flesh,
Quanto tempo eu sonhei por esse momento memoravel.


Poderia escrever mil melodias sobre voce, mas nada se compararia a aquela manhã
Desde entao vivo cada um de nossos momentos como se fosse unico,
Porque eu nao quero perder nenhum segundo com voce,
Pois cada instante longe dos seus olhos parece mil anos sem o sol.


POESIAS

COLUNA DO TARSO - http://tarsocorrea.blogspot.com.br/

MEU MUNDO SEU

Sou luz condensada em matéria pálida,
Alma de criança em um corpo que envelhece,
Sou fluído, sou eterno, um hálito cálido,
Um sopro de Deus que resplandece;
Sou especial, exponencial,
Sou apenas diferente,
Eterno carente de ti,
Perdido em mim, vagando no meu transtorno mental
Sou um lapso do tempo, um ápice temporal;
Ao tocar-me, que seja com atitudes,
Não preciso dos toques físicos,
Que me maculam, agridem e machucam;
Só quero o teu amor, a tua presença e virtudes;
Caminhe comigo, aceite-me como sou,
Trancado no meu mundo a saborear o micro, pois já sou macro;
Um dia, verás que fui para ti, um sonho,
Que deixei marcas por onde andei,
Que cresci, enraizei em teu coração,
Banhei minha vida em teu calor,
Mesclei minha alma a tua,
Que nua se fecundou;
Lembrarás que permitiu fluir o amor;
Por alguém que contigo permeou as alucinações,
Em mundos assombrados e encantados;
Que caminhou comigo, e que me deste a mão,
E com carinho me acalentou.


COLUNA DO Brendow Henrique - https://www.facebook.com/ametafisicapoetica?fref=ts

QUEBRA CABEÇAS DO AMOR

Incessante eu procuro,
Um alguém que me ofereça,
Um amor sincero e puro,
A peça faltante do meu quebra-cabeça.

E que desse amor eu padeça;
Ei de encontrar, eu juro;
E que versos lindos eu teça,
Eternizando o nosso futuro.

E nesse quebra cabeça,
É da sua peça que eu preciso;
E ainda que nessa busca eu pereça;

Ei de fazer de ti meu paraíso,
E esse seu sorriso, é meu verdadeiro cais;
Um conjunto de peças diferentes, mas de almas iguais.


ESPAÇO ABERTO

EM TEMPOS DE APATIA
Marcos Marcos Santos - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Em tempos de apatia,
Em tempos de liberdade de expressão jogada no lixo,
Em tempos de lavagem cerebral,
Por que já não é proibido pensar ou se expressar
Mas tentam inibir ou limitar o pensamento.
Nesse tempo em que a mídia tem moldado opiniões com suas artimanhas,
Eis uma luz...
Ainda há pessoas que enxergam,
Ainda há quem lute por ideais,
Que dão a cara à tapa
E os corpos a tiros de borracha.
Não quero heróis que fazem gol.
(procura-se um herói).
Mas eis a multidão
Até então escondida.
Eis a descoberta da união, e a descoberta,
Que o poder neste país vem do baixo para cima,
Que para um mundo melhor
Ao sonhar deve-se estar acordado
Com olhos arregalados
E esse sonho deve ser regado com ações.
A indignidade saiu das mesas de boteco.
Estão nas ruas...
Saiu das rodas de amigos.
Estão nas ruas...
Saíram das redes sociais eletrônicas.
E, em fim, dos versos de poesias.
E estão onde devem estar...


POR UMA VIDA COM MENOS SONHOS
Amanda Ribeiro -http://mandiibeiro.blogspot.com.br/


Acho engraçado como é recorrente ver pessoas se referindo aos sonhos como algo extraordinário, e incentivando os outros a sonharem, ou a correr atrás de seus sonhos.


Não me refiro aqui ao sonho como atividade mental durante o sono, ou como o bolinho de padaria recheado com algum doce (desse eu corro atrás com prazer), mas sim a aqueles pensamentos e desejos de vida que, em alguns casos, se confundem com metas.

Nunca fui do tipo sonhadora, pra falar a verdade, acho que sou incapaz de sonhar (talvez seja por isso que pareço a mim mesma tão fria, enquanto redijo esse texto).


E por incrível que pareça, apesar de ser possuidora de uma criatividade extremamente aflorada, sempre tive os pés muito bem presos ao chão, e sempre preferi me orientar entre metas e ideais a sonhos. Sempre escolhi botar as mãos na massa, fazer eu mesma o caminho.


Sempre vi ‘sonho’ como um contrário de ‘vida’.

Talvez esteja errada, mas essa de ‘sonhos’ me dá a sensação de um espera, de estar ao vento aguardando uma espécie de milagre.

Nesse século, essa visão se agrava ainda mais, já que vivemos uma superficialidade e o sonhar torna-se indispensável à medida que tem uma relação muito tênue com o ‘possuir’. Creio que não seja necessário nesse momento aprofundar no conceito de como nossa sociedade está estruturada sobre capitalismo, consumo e efemeridade, mas, é sobre isso que o sonho hoje se assenta.
Sem consumo, não há sonho!
Uma prova disso?
Você mesmo! Qual é seu sonho? Possuir algo, ser bem sucedido, ganhar na loteria... Sem sombra de dúvida algum dos ‘itens’ citados está incluso no pacote, não é mesmo?

(PS:. Se você for um sonhador legítimo, o ultimo item está presente nos seus sonhos diariamente e detalhe: você nem joga!)
Mas voltando ao texto, sonhar na sociedade de consumo, também virou comércio!
Ninguém quer ser nada!
Ou melhor, todos querem ‘ser’ algo por meio de suas posses. É por isso que muitas pessoas, buscam uma vida inteira -ou se tiverem sorte, muitos anos dela – por algo que nunca acharão!

Hoje defendo, com muita convicção, que o que importa não são sonhos ou posses. O que importa é viver, não a espera do final de semana, ou do dia em que você vai comprar seu carro, sua casa ou seja lá o que for, mas sim, viver o dia de hoje, o minuto de agora. Faça planos, trace metas, não de compras (não que você não deva fazê-lo, só não os priorize) mas de ser alguém melhor em conhecimento, como ser humano, de ter experiências, vivencias, amigos. Porque para viver é preciso ter os pés no chão. E porque como disse Belchior e cantou a grande Elis: Viver é melhor que sonhar!

MOMENTO CULTURAL

Convido a todos a visitarem o canal do Tiago Henrique no Youtube e conferir seu novo trabalho:

https://www.youtube.com/watch?v=aCsXqiNau08

COLUNA VEGETARIANA
Assista: http://www.terraqueos.org/


*FAÇA DOWNLOAD DE TODAS AS EDIÇÕES DA RBC, CLIQUE AQUI (http://www.4shared.com/dir/9mm2HE1N/RBC_Memria.html)

EDIÇÃO PUBLICADA POR
PAMELA SOBRINHO ( Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. )