ED46 | de 21 a 28 de julho | 12

ÍNDICE DA EDIÇÃO
Editorial - Desabafos do Rangel - Eu e a nanonarrativa - Sessão Julio Rabelo - Máquina do Vento - Um olhar - Leitura e Formação de Leitores - Contando Estórias - Espaço do verso. E reverso - Coisas da Vida - Espaço Aberto Virtual - Cinema a qualquer hora - Memória do Mundo - Eventos - Pontos de Cultura e Arte - Editais - Agenda Teia Cultural Minas

EDITORIAL
Por Cristiano de Oliveira - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Bom pessoal, a todos um grande inicio de semana.
Estamos mais uma vez por aqui, neste semanário altamente informativo e convidando-os a fomentar a cultura e a arte existente em cada ponto do país através do estado de Minas Gerais. De São Paulo faço fé no projeto e apesar da demora da divulgação desta RBC Semanal digo-lhes que o projeto não parou, nem tão pouco deixou seus ideais, estamos fazendo de tudo para manter o processo de ter um informativo semanal e não quase mensal como esta atual. Para tanto, trabalharemos com mais de um editor, ficando a cargo do nosso colaborador Giuliano ( Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ) fazer as postagens, atualizando com qualidade e afinco no que fazemos, é assim, o crescimento é uma palavra que não pode ser deixada de lado.
Continuem mandando seus textos para a coluna “ESPAÇO ABERTO VIRTUAL”, ela continua de vento em popa.
Nas semanas que antecederam esta postagens tivemos diversos acontecimentos, um deles ligado a arte, os Rolling Stones fizeram 50 anos de carreira e o filme “On The Road”, a bíblia da geração beat, foi lançado em várias salas de cinema pelo mundo, mundo esse que não para!
Enquanto ditadores vão sendo condenados pelo seu passado violento, nós, com clareza damos continuidade a tudo que favorece a vida, com amor e compreensão. Este pode ser o ultimo editorial feito por Cristiano, porém os ideais estarão sempre aqui, prevalecendo à força humana da cultura e da arte seja com qual editor estiver, todos os melhores momentos de nossas vidas são construídos por mais de um ser, acreditem!
E é por acreditar que eis a RBC Semanal, viva! Forte e contudo, sóbria!!

Uma imensa semana a todos!!

DESABAFOS DO RANGEL
Por Thiago Rangel - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Aguardando atualizações

EU E A NANORRATIVA
Por Giuliano Santos - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Assalto
A Cláudia Coutinho

Como não compensa? Só a carinha gostosa deles recebendo a presentada já paga esse suplício diário. Lata de sardinha é melhor, apertada e fede mas não balança. Catraca maldita. Entra mais gente ainda na lata. E agora essa: bolsa aberta. Aposto um doce de mamão se não é o gatuno maldito de calça rasgada. _ Entrega logo o que tem que tudo fica como tava! Chegando em casa abri a bolsa e percebi que o roubo não foi só nela. A consciência se foi e veio só o documento amassado com o cartão assistencial.

SESSÃO JULIO RABELO | Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Foto:juliorabelosessãoFOTOS 24

Canal de vídeos Julio Rabelo 

MÁQUINA DO VENTO
Por: Tiago Henrique - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

SE O TEMPO CONGELASSE

Não aguento mais
Preciso de uma solução mágica
Para que o tempo volte

Aquela história
“Se eu pudesse voltar faria tudo exatamente igual”
Não se aplica a minha angústia

Eu faria diferente!
Faria sim,
Sabendo o que eu sei hoje
Eu seria diferente

Saberia dar mais valor as coisas
Deixaria de construir uma imagem dura de mim:
Como um homem forte e indolor

Isso é bobagem; eu queria voltar,
Aquela frase que diz
“Embora você não possa mudar o passado
Você pode começar agora e mudar o futuro”

É uma boa frase de efeito,
Mas só faz a maioria das pessoas lamentarem a vida,
E na verdade,
Eu queria minha vida novamente,
Sabendo de tudo que sei agora
Seria como se o tempo congelasse
...
...
Pobre tolo que se expressa
Faria muita coisa errada
Na mesma tentativa de acerto.

UM OLHAR
Por: Bruna Santos - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Mudanças de um mundo

Quando meu filho nascer não vai mais existir a dupla Sandy & Júnior, ele nem vai ter noção de quem é Leandro que fez dupla com Leonardo, nem quem foi João Paulo que fez dupla com Daniel. Quando meu filho nascer talvez ainda exista a Xuxa e a Ana Maria Braga. Mas ele não vai conhecer Bussunda, nem Chico Anísio, nem Derci. Talvez escute falar dos bons tempos dos Menudos e de Michael Jackson, mas não escutará nenhuma música inédita.
Quando meu filho nascer não vai entender ao certo o que foi ao atentando de 11 de setembro, nem sobre a guerra no Iraque, nem sobre a morte de Osama Bin Laden. Quando meu filho nascer talvez possa não existir o euro, os Estados Unidos e a China podem não ser mais superpotências. Quando meu filho nascer as redes sociais estarão com mais força. Talvez ele entenda mias sobre manifestações realizadas através no twitter, e entenda como o Egito retirou do poder um ditador através da internet. Quando meu filho nascer talvez ele não possa mais tomar um banho de dez minutos, nem utilizar sacolas plásticas. Quando meu filho nascer ele vai trabalhar em uma empresa sustentável, com planos sustentáveis, em um país com desenvolvimento sustentável. Quando meu filho nascer eu vou querer para ele o mesmo que a minha mãe quis para mim: um mundo diferente.

LEITURA E FORMAÇÃO DE LEITORES
Por Baltazar José Filho - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

"Nossas vidas começam a terminar no dia em que nos silenciamos para as coisas que realmente importam" (Martin Luther King)

A arte de ensinar e a arte de aprender (II) | Por Carlos Bernardo González Pecotche (Raumsol)
Dissemos no começo que a arte de ensinar é muito diferente da arte de aprender. Com efeito, tratando-se do conhecimento transcendente, que é o que guia para o aperfeiçoamento, não se pode ensinar o que se sabe, se, ao fazê-lo, não vai refletida, como uma garantia do saber, a segurança que cada um deve dar com seu próprio exemplo. Eis aí, justamente, onde começa a tornar-se difícil a arte de ensinar, porque não se trata de transmitir um ensinamento, ou de mostrar que se sabe isto ou aquilo; quem assim fizesse, se converteria em um simples repetidor do ensinamento, em um autômato, e seu labor careceria de toda eficácia. Já é outra coisa, quando através da palavra de quem ensina, coincidente com seus atos, vão se descobrindo qualidades relevantes; e outra coisa é, também, quando, no que escuta e aprende, vai se manifestando a capacidade de assimilação; então, o que aprende, aprende de verdade, e quem ensina, ensina com consciência.
Um ensinamento pode ser transmitido bem ou mal pelo que ensina, mas, o fato de transmiti-lo mal não tem porque implicar má intenção ou má vontade; comumente é transmitido de forma errônea, por não o haver entendido bem, vivido e incorporado a si mesmo. Quem faz isto não possui, certamente, o domínio do ensinamento, que permite não esquecê-lo mais; e está longe de ser como aquele que, de posse de uma fórmula, pode reproduzir a qualquer momento o conteúdo da mesma. Esquece o ensinamento quem não teve consciência dele e, por tal causa, acha-se na mesma situação do que aprende. Estas particularidades da arte de ensinar e da arte de aprender devem ser tidas sempre muito em conta.
Quando se aprende deve-se sempre situar a si mesmo na posição mais generosa, qual seja a de aprender sem mesquinhez, a de aprender para saber dar, para saber ensinar...
Para cultivar estas artes, quando se aprende deve-se sempre situar a si mesmo na posição mais generosa, qual seja a de aprender sem mesquinhez, a de aprender para saber dar, para saber ensinar, e não com objetivos egoístas, fazendo-o para usufruto próprio, exclusivo, que é, em último termo, a negação do saber.
A Sabedoria logosófica prodigaliza-se, por isso, aos que mais tarde saberão ensinar, aqueles que terão em conta, ao fazê-lo, todos os detalhes que, correntemente, passam inadvertidos e depois travam o entendimento dos seres.
Quem é generoso ao aprender, é generoso ao ensinar; mas nunca terá que se exceder nessa generosidade, pretendendo ensinar antes de haver aprendido.
É mister conhecer a fundo a psicologia humana, para descobrir todos os subterfúgios que existem no complexo e misterioso mecanismo mental do homem.
Quando se inicia a heróica empresa do próprio aperfeiçoamento, é necessário acostumar-se a caminhar com firmeza, sem vacilações nem desacertos, buscando sempre a segurança no próprio conhecimento, e, quando aquela não existir, este deve ser cultivado, para que se consiga obter esses frutos que fazem, depois, a felicidade interna.

Trechos extraídos do livro Introdução ao Conhecimento Logosófico p. 259 e 260 www.logosofia.org.br

FUNDAÇÃO LOGOSÓFICA | Em prol da superação humana- Martin Luther King, Jr

CONTANDO ESTÓRIAS
Por: Eder Aguiar Faria - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

A invasão

Yosushen deixou sua iurta, e parado adiante dela estendeu o olhar nas planícies mais abaixo: o sol subia na linha do horizonte acima das montanhas, encolhendo suas sombras projetadas pelas estepes.
No acampamento, um silêncio; a maior parte dos guerreiros ainda dormia com suas famílias nas iurtas espalhadas pelo planalto, entre uma neblina espessa, que absorvia os focos da fumaça branca, emergindo das cinzas restantes das fogueiras da noite anterior.
Yosushen tossiu secamente, e pensou se aquela irritação não seria mais um efeito da expectativa com a aproximação de mais uma batalha sangrenta, do que do frio com a aragem cortante que soprava do norte, castigando-os. Era sempre assim; e não queria viver de outro modo. Quando a batalha começava, seu coração disparava fazendo o sangue correr quente, com a vida por um fio dando tudo de si.
E tudo fazia sentido, então, no poder de sua espada. Seus comandos eram transmitidos aos oficiais, que rapidamente movimentavam seus guerreiros em blocos, na mais perfeita ordenação numa batalha, combatendo ferozes e determinados; devastando o inimigo. Os que tombavam mortos eram honrados pelos guerreiros que sobreviviam.
Hassam Cessa, o filho mais jovem de Yosushen, aproximou-se quando o batedor chegou trazendo notícias:
- Senhor cã, foi dizendo ele entre uma respiração ofegante, os invasores estão acampados no vale além das primeiras montanhas, a não mais que um dia. Seus cavalos estão fortes e descansados. Há muitas mulheres e crianças, e estão em número menor, senhor. – Yosushen inspirou fundo, considerando gravemente suas chances e os riscos naquela investida. Precisava defender seu povo.
Então chamou seus oficiais e deu ordens para que se preparassem para partir em duas horas. Atacariam ao amanhecer.
Os olhos de Hassam Cessa naquela hora, vivos e interrogativos, encontraram os do pai, firmes como uma rocha:
- Não filho, você ainda não está preparado para a guerra! Deve permanecer aqui, e defender o acampamento. – o rapaz abaixou a cabeça em obediência, visivelmente contrariado. Mas a palavra do cã era única; era a lei.
Depois, enquanto os homens partiam enfileirados, silenciosos, poupando forças para a luta, Hassam Cessa os olhava com orgulho. Ainda não seria desta vez que se juntaria a eles para a guerra.
Hassam foi à iurta do Xamã ouvir as previsões da guerra. O velho misturou num crânio antigo de um guerreiro, uma erva, que depois aqueceu, expelindo um gás e uma fumaça branca que foram impregnando completamente o ar na iurta.
Hassam sentiu-se leve, cada vêz mais leve com aquilo, vendo o Xamã estremecer-se, virar os olhos e metamorfosear-se, até tornar-se um cavalo, correndo livre nas estepes, sem seu cavaleiro. Percebeu, então, que o cavalo era o de seu pai, e tentou segurá-lo, mas o animal não se continha, até que foi desaparecendo com a fumaça diante dele. Quando Hassam despertou do transe, o Xamã o fitava sério do canto da iurta.
Ele se levantou assustado e dirigiu-se ao feiticeiro:
- Fale Xamã! Por que vimos o cavalo do cã galopando sozinho daquele jeito! Fale logo, velho! - O xamã pôs a mão calmamente sobre o ombro do jovem Hassam, como se quisesse ampará-lo naquele momento, e então lhe disse:
- Jovem mestre, o cã não sobreviverá a essa batalha! Os conquistadores virão como uma praga sobre nossas terras, corrompendo e devastando.
- Então precisamos avisar o cã! eles acabaram de partir! – o Xamã levantou-se saindo da iurta seguido por Hassam, e depois se deteve mirando os guerreiros que se afastavam pelo longo escarpamento montanhoso abaixo, quando disse:
- Isso é inútil, jovem mestre! Já não sou mais um Xamã para seu pai, desde a morte de seu irmão na investida daquele inverno funesto!
- Mas..., velho!
- Não..., jovem mestre! Rogue apenas ao Pai Céu para que os receba bem.
- Você esta errado de novo, velho! O cã regressará vitorioso!
Amanhecia e o vale dormitava tranqüilo sob a neblina, quando Yosushen precipitou ferozmente sobre ele com seu exército. Rapidamente os invasores se moveram no vale, com seus guerreiros se organizando no entorno do acampamento, preparando-se para a luta, e Yosushen pode estimar melhor suas forças. Depois de percorrer toda a área com seus olhos de águia, ele abriu um sorriso largo, num vislumbre de ter a batalha já vencida, e cavalgando no vento, com a espada apontada adiante, estimulou seus homens:
-Eles pensam que vão nos derrotar com isso! Vamos homens! Vamos meus guerreiros! Arrasem tudo! Não quero nenhum sobrevivente!
No vale os invasores pareciam um rebanho de ovelhas cercadas por lobos, os guerreiros de Yosushen. Uma brecha lateral na defesa foi vista, e o cã conduziu naturalmente seus guerreiros para ela. Era como se buscassem defender uma área do vale sem qualquer significado.
Yosushen estranhou a estratégia, que julgou estulta, considerando mais uma imperícia do adversário, e atacou. Viu glorioso os primeiros guerreiros invasores caírem com as espadas de seus homens; viu suas mulheres e crianças apertarem-se ao centro, mas não pareciam tão desesperados com a morte que chegava para eles, e Yosushen teve um estremecimento. Algo acontecia diante de seus olhos, e ele não sabia o que era.
Quando seu exército inteiro já cercava o acampamento, súbito, como formigas num formigueiro atiçado, brotaram centenas de guerreiros do chão num perímetro além, mais estendido. Ajoelhados com o arco teso apontando suas flechas, eles logo começaram a abater os homens de Yosushen àquela distância, sem que nenhuma flecha errasse o alvo.
Não havia defesa contra aquilo. E ao mesmo tempo eles surgiam em pôneis, como demônios, cavalgando e atirando flechas com incrível precisão, numa associação tão perfeita do arco e montaria, que Yosushen jamais havia visto em suas batalhas. Não achou que fosse possível uma retirada; não soube o que fazer. Seus homens, perdidos, foram caindo um a um. Yosushen, já atingido por uma flecha, chamou por Murak, seu melhor homem, e entregando-lhe a espada e seu cavalo, confiou-lhe a missão de retornar sozinho ao acampamento e avisar Hassam o que acontecera, refugiando-se com ele e os outros nas montanhas.
Murak conseguiu deixar a batalha e partiu.
Hassam viu de longe o homem de seu pai que retornava cavalgando a toda velocidade. Não esperou; foi ao encontro dele galopando também; já imaginava tudo. Murak não se detivera ao passar por ele:
- Vamos jovem mestre! Temos que tirar todos daqui! Os invasores já devem estar a caminho! – os olhos de Hassam se encheram de lágrimas, quando se voltou com o cavalo e galopou com Murak, deixando seu pai, provavelmente já morto para trás, e tendo que abandonar tudo daquela forma, sendo expulso de seu próprio país.
Quatro anos depois, os portões de uma fortificação de pedra escondida na fenda de uma montanha se abriram, e Murak viu, com alegria, o homem Hassam Cessa sair com seu cavalo, parar diante dele, e com gravidade e determinação, saudá-lo:
- Murak, meu amigo! Que o Pai Céu o defenda! – e depois perguntar – Qual é mesmo o nome do homem que matou meu pai, e tomou nosso país?
- É Genghis, Senhor. O nome dele é Genghis Khan.

ESPAÇO DO VERSO. E REVERSO
Por: Luiz Carlos Leme Franco - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .br

Mês de julho

Nos meses de sempre julho
completam-me vivências
que não podem ser esquecidas.
Nos julhos sucedem-me muitas vidas,
em uma só existência,
que jamais ficarão despercebidas.

Usufruí nestes meses de inverno
pelos anos que já percorri,
momentos e momentos
de paz e sossego interno,
lembranças de alegrias que vivi.

Aconteceram aniversários, viva;
Qu’ eu sem nenhum deles,
maravilhosos que foram,
viver não poderia.

Em julho vim ao mundo
p’ra ficar, passar, morrer.
Renascer. Viver. Remorrer.

Comemoro neste mês,
anos de tempos agradáveis,
sempre com alegre vivência.
Obrigado devo aos pais,
pela infinita competência
de incutir-me amor e decência.

Caminho, estou de passagem
entre meus julhos e outros encantos.
Julhos novos virão,
momentos outros serão.
Experiências acontecerão
em algum recanto.

Eu fiquei, parei no tempo
momentando o que já fui e serei.
O que terei?
Algumas acontecências morrerão
e novas lutas surgirão.

Momentos mortos também virão.
Momentos. De momento em momento
farei novos julhos.
Deus me ajude.

COISAS DA VIDA
Por : Kilze - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Amizade

amizade

O ser humano está em constante mudança. Mudar é o que nos faz evoluir. É como disse sabiamente Einstein “A vida é como andar de bicicleta. Para se equilibrar é preciso estar em movimento.”.
A amizade é parte importante nesse grande processo que chamamos de evolução, vida e não deve sofrer danos nele. Por definição, segundo o dicionário Aurélio, Amizade quer dizer: sentimento fiel de afeição, apreço, estima ou ternura entre pessoas. Carl Rogers diz que a amizade "é a aceitação de cada um como realmente ele é".
Às vezes quando nos deparamos com um amigo(a) que não encontrávamos há anos nos assusta perceber como ele(a) mudou. São coisas da vida... A lembrança que preservamos é diferente da realidade que se apresenta diante de nossos olhos.
Então, há que se iluminar nosso olhar para compreender que também há anos atrás éramos diferentes do que somos hoje e do nosso amigo e o que nos uniu foram as semelhanças.
Há que se respeitar o outro. E respeitar é entender que eu escolhi o caminho B e você o A, mas mesmo assim podemos nos encontrar, sentar e nos divertir juntos.
Respeito é a palavra chave. Respeitar as diferenças é o que nos torna seres humanos melhores.

ESPAÇO ABERTO VIRTUAL
Pó de chuva...|Por Efigênia Coutinho

O corpo e alma de chuva molhado,
Não traz essa fria tristeza
Leva sim, para ti toda beleza
Do meu pensamento enamorado,
Dos sonhos que tenho na alma,
Que sereno a emoção acalma
Marcando com toda firmeza,
O beijo nos lábios selados.
E num ritual de emoção,
Ao teu encontro vou vivendo
Os meus lábios vão sentindo
O sabor de tanta oblação.
E a chuva que o corpo molha,
Reserva-se na inspiração,
Desmancha a pedra em pó
No coração do homem que olha
E ver que nunca está só!

CINEMA A QUALQUER HORA
Por: Equipe RBC Semanal

Assista on-line uma indicação de filme por semana juntamente com sua família.
Filme da semana: EM ALGUM LUGAR DO PASSADO

MEMÓRIA DO MUNDO

hollywood era assimHollywood era assim

EVENTOS
O Arte em Foco Debate Fotografia e Outras Artes
O ciclo de reflexões sobre as artes, realizado pela representação da Funarte em MG – o Arte em Foco, chega à sua quarta edição com uma novidade: um dia a mais de curso, em que o artista entra no foco para falar do seu trabalho. Agora de segunda a quinta-feira, sempre na última semana do mês, a edição 2012 acontece de julho a novembro. E as inscrições para o primeiro ciclo já estão abertas. O professor Fernando Cury de Tacca, da Universidade de Campinas, vai falar sobre as intertextualidades da fotografia com o cinema, a literatura, as artes plásticas e a internet. O encontro terá por objetivo organizar o pensamento fotográfico a partir de suas relações e hibridismos com outras artes e meios de comunicação; analisar os aspectos intertextuais da fotografia em vários momentos de sua história, focando principalmente a produção contemporânea; a intercessão da fotografia com as ciências; as artes e os meios de comunicação.
Quando: De 30 de julho a 02 de agosto
Inscrições Gratuitas. Envie nome completo, breve currículo e telefone para contato para: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Vagas Limitadas

PONTOS DE CULTURA E ARTE
Pontos de Cultura de Minas Gerais participam do 44º Festival de Inverno da UFMG
Representantes de 33 Pontos de Cultura de Minas Gerais vão a Diamantina, município do Vale do Jequitinhonha (MG), no período de 15 a 25 de julho, para participarem da 44ª edição do Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que tem como tema “O Bem Comum”. A iniciativa acontece graças à parceria entre a UFMG, o Ministério da Cultura, a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais e a Comissão Estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais. O 44º Festival também recebe recursos da Lei Rouanet. Para a chefe da Representação Regional Minas Gerais/MInC, Cesária Macedo, a proposta do Festival vai ao encontro dos princípios do Programa Cultura Viva. “O Festival de Inverno vai permitir a troca de experiências entre a Universidade e os atores tradicionais e populares, numa ação que valoriza a nossa diversidade cultural”. Leia mais

EDITAIS
Concurso Fotográfico - BDMG Cultural
O BDMG Cultural lançará, no dia 1º de julho, o concurso fotográfico Retratos de Minas. Fotógrafos mineiros poderão se inscrever para a seleção das 10 melhores fotos, das categorias amador e profissional, que retratem o tema “O desenvolvimento de Minas Gerais nos últimos 50 anos”. Os interessados devem acessar o site http://www.bdmgcultural.mg.gov.br, conferir o regulamento e preencher a ficha de inscrição. O prazo para as inscrições são de 1º de julho a 31 de agosto de 2012.

Inscrições abertas para filmes e vídeos no Cine Festival Inconfidentes
Estão abertas as inscrições para obras audiovisuais na 3ª edição de Inconfidentes – Festival Nacional de Cinema e Vídeo, produzido pela Universidade Federal de Ouro Preto. Os filmes e vídeos podem ser inscritos do dia 20 de junho a 30 de julho e serão divididos em cinco categorias: ficção, documentário, animação, experimental e futuro (filmes para público infanto juvenil). O regulamento, a ficha de inscrição e outras informações podem ser conseguidas no site www.festivalinconfidentes.ufop.br

Programa de Patrocínios do Banco do Brasil
O Banco do Brasil divulga o edital do Programa de Patrocínios 2013 com inscrições até o dia 31 de julho de 2012. O objetivo do Programa é definir projetos a serem apoiados pelo Banco do Brasil em 2013, por intermédio de chamada pública, com inscrições pela Internet, análise por Comissões de Seleção Internas, aprovação pelo Conselho Diretor do Banco do Brasil e validação pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República – Secom/PR. É recomendável a leitura prévia do conteúdo do edital, disponível no ícone abaixo. Acesse o edital

Festival Internacional de Humor e Arte em AIDS
Os Ministérios da cultura e da Saúde, em parceria com a Unesco, realizam, no segundo semestre de 2012, o Festival Internacional de Humor e Arte em Aids. Do evento, que será realizado por meio de edital, poderão participar artistas profissionais ou amadores nas categorias cartuns, tirinhas cômicas e arte urbana. O objetivo do Festival é incentivar a produção de obras criativas na promoção de estilos de vida saudáveis relacionados ao HIV e Aids a partir da discussão de três eixos: Prevenção, Tratamento e Direitos Humanos. As obras selecionadas farão parte de uma exposição itinerante, um catálogo impresso e um catálogo eletrônico. As inscrições, gratuitas, já estão abertas e podem ser feitas até 5 de agosto de 2012. O edital, formulário e fichas de inscrição estão disponíveis no endereço eletrônicohttp://www.aids.gov.br/festivalhumor. Informações referentes ao Edital no email: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

AGENDA TEIA CULTURAL MINAS

Cabeçalho:Simbologias relacionadas a sexta-feira 13. Ilustração: Gustav Klint

image001

BELO HORIZONTE
Festival Saci Transforma Julho no mês das Crianças em BH
O SACI integra as diversas artes numa curadoria com foco exclusivo no público infantil. “O SACI respeita a criança. Mais da metade de nosso público é criança e vemos que a cidade tinha necessidade desse encontro do público infantil com o espaço artístico deles”, explicam os idealizadores. “O evento acaba sendo familiar, funcionando `na mais perfeita desordem`, onde também nós aprendemos com a criança que são supercuriosas e tem a necessidade de experimentar... é uma delícia ver as crianças quebrarem as regras”, completam. Entre os dias 14 e 22 de julho em Belo Horizonte a programação contará com Patu Fu, Palavra Cantada, Meia Ponta Cida de Dança, Marcelo Xavier, Leo Piló, entre outros. Com oficinas de circo, dança, mostra de cinema, shows, entre outros. Outro destaque acontecerá na abertura do evento, dia 14, quando o estilista Ronaldo Fraga realizará intervenção de arte, moda, cultura e brincadeiras no Parque Municipal, com entrada gratuita.

Savassi Festival 2012 - Maior evento de jazz do país festeja 10 anos
Para marcar os 10 anos de um dos festivais mais cool e dinâmicos de Belo Horizonte, o Savassi Festival 2012 preparou uma programação especial recheada de grandes nomes do jazz nacional e internacional. De 18 a 29 de julho, diversos pontos da capital, incluindo o Palácio das Artes – em parceria com a Fundação Clóvis Salgado –, Parque Municipal, ruas da Savassi, a Praça da Liberdade – novidade desta edição – e ainda shopping, praças, bares, cafés e restaurantes, recebem instrumentistas e intérpretes consagrados junto a novos talentos. Outra novidade que o Savassi Festival reserva para este ano é a residência artística do compositor Darcy James Argue, em Belo Horizonte, que atuará ao lado da Big Band Palácio das Artes, um dos grupos profissionalizantes da Fundação Clóvis Salgado.

Pulso Iraniano - A energia de uma nova geração revelada
O Oi Futuro apresenta para o público a exposição “Pulso Iraniano”, que traz fotografias e vídeos inéditos de importantes artistas contemporâneos iranianos, além de um conjunto de poemas traduzidos para o português. O curador e diretor artístico do projeto, Marc Pottier, pretende mostrar a força da nova criação iraniana desenvolvida tanto no próprio país como em outros países, para onde alguns artistas migraram. Em um caso ou no outro, são artistas que perpetuam uma tradição milenar de criação artística.
Galeria de Artes Visuais do Oi Futuro
Visitação pública: 30 de junho a 26 de agosto de 2012
Entrada franca

Programa Música Minas abre edital para participação de artistas em coletânea
Estão abertas até o dia 24 de agosto as inscrições para o Coletânea Música Minas, edital do Programa Música Minas que proporciona a músicos de vários gêneros e estilos a oportunidade de participar de uma coletânea musical. As informações estão disponíveis no site www.musicaminas.com. A coletânea será dividida por estilos, com o objetivo de fornecer um recorte da atual e vasta produção musical de Minas Gerais. Todo o material será distribuído entre formadores de opinião, agentes, programadores e produtores em feiras nacionais e internacionais, espaços que constituem algumas das mais expressivas oportunidades para a promoção e divulgação da música atualmente.

OURO PRETO
Faop no Festival de Inverno 2012
De 8 a 22 de julho, Ouro Preto e Mariana são dominadas pela Arte em suas mais variadas formas com o Festival de Inverno – Fórum das Artes. Um dos destaques é a Curadoria de Artes Plásticas, de responsabilidade da Fundação de Arte de Ouro Preto | Faop, com a promoção de exposições, oficinas e intervenções urbanas. Tomando como base o eixo temático do Festival deste ano: “Latino América – ¿Libertas, Liberdad, Liberdade?”, a Faop propõe a imersão no universo das culturas latino-americanas e suas estratégias artísticas que pensam, discutem e vivem a dimensão política e estética. Mais de 130 vagas são ofertadas nas seis oficinas da Curadoria de Artes Plásticas. Com ações voltadas para jovens, adultos e idosos, elas envolvem temas como desenho em croquis, estêncil como suporte de criação, cerâmica, arte através da linguagem de programação Scratch, xilogravura e processo criativo dos tapetes devocionais. Ao todo, a curadoria vai aplicar 165 horas durante as oficinas.

8ª edição do Festival de Inverno retrata a América Latina
Com o tema “LATINOAMERICA – Libertas, Libertad, Liberdade?”, o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes 2012 - acontece entre os dias 8 e 22 de julho. O evento busca retratar as manifestações culturais da América Latina e os conceitos de identidades resultantes do processo histórico que fizeram dos países que a integram - colonizados nos séculos XV e XVI - ricas fontes de inspiração para a arte. O evento contará com exposições, filmes, peças teatrais, oficinas, shows e espetáculos, que vão questionar nosso conceito de liberdade. Acesse a programação completa do evento em www.festivaldeinverno.ufop.br/2012

Informações gentilmente fornecidas por Ivone Souza Paula (contato: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ) através do Teia Cultural MInas