RBC Semanal

ED29 | 30 à 06 de DEZ 11

Neste mundo de total desafeto é preciso abraçar causas e sofrer por elas, não é sempre que se está em 100% mas faça o possível para sorrir pelo menos para si mesmo, isso garantirá um tom mais claro ao local em que esteja.

ED29 | de 30 à 06 de dezembro | 11

ÍNDICE DA EDIÇÃO
Editorial - Desabafos do Rangel - Eu e a nanonarrativa - Sessão Julio Rabelo - Máquina do Vento - Um olhar - Leitura e Formação de Leitores - As aventuras de Kill - Espaço Aberto Virtual - Memória do Mundo - Artistas nossos de cada dia - Som da Semana - Pequeno Enfoque - Eventos - Pontos de Cultura e Arte - Editais - Utilidade pública - Agenda Teia Cultural Minas

altEDITORIAL
Por Cristiano de Oliveira - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Para começo de conversa antes mesmo de dar-lhes um olá, quero-lhes perdir desculpas por qualquer transtorno para esta semana, neste exato momento são 18: 35 e estou a fazer as postagens neste semanário, porém notem que algumas colunas estão aguardando atualizações, não se desesperem pois, em alguns casos ainda não recebemos material para o fechamento da postagem e nem mesmo o material Artítico Cultural do Teia Minas que ainda não nos foi cedido. Fora estes inconvenientes estamos a todo vapor.
Bom dia, boa tarde e boa noite.
Qualquer reclamação, novas ideias, novos conceitos, dicas e materiais nos escrevam, conheçam cada participante/colaborador deste semanário, em cada coluna há um email de contato, conversem, troquem ideais com essa equipe e lhes adianto: Não se arrependerão!
Neste mundo de total desafeto é preciso abraçar causas e sofrer por elas, não é sempre que se está em 100% mas faça o possível para sorrir pelo menos para si mesmo, isso garantirá um tom mais claro ao local em que esteja.
No Som da Semana eu queria uma coisa que lembra-se de minha infância, e jogar futebol utilizando uma bola de meia e jogar bolinha de gude são coisas que eu particulamente adorava, portanto, 14 Bis é a nossa escala musical desta semana e, ah... fiquei muito feliz com pessoas ouvindo nossos sons e depois correndo atrás das bandas que apresentamos por aqui, até meu patrão virou fan desta coluna (dá-lhe Tiago). Se caso desejarem, me escrevam e me digam sobre suas experiências que cada coluna os leva a ter, teremos o maior prazer em publicar estes depoimentos aqui na RBC Semanal.
Me perdoem também pelo pobre editorial/abertura que lhes apresento, mas saibam que em nosso semanário a verdadeira informação está em poucas linhas, assim como as pequenas coisas boas que fazemos a outros.

Um grande abraçasso a todos e tenham uma ótima semana!


altDESABAFOS DO RANGEL
Por Thiago Rangel - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Aguardando Atualizações


altEU E A NANORRATIVA
Por Giuliano Santos - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

P/ Exportação

Não entendeu quando foi retirado dos outros. Nova casa é arejada, no caminho conheceu até o sol. Patinhas não sustentavam o corpo suíno e desproporcional, nutrido a engodo e exagero. Mal nasceu e já se tornou adulto, sem o gosto do leite. Nunca mais viu mamãe. Estranhamente conheceu o paladar. Galera não vai acreditar na delícia dos abacaxis. Num átimo, a mercadoria foi pendurada pela perninha, confundindo-se com as outras. Imóvel, permaneceu com a feição leitão que lhe amputaram.


SESSÃO JULIO RABELO | Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

alt

Foto


Canal de vídeos Julio Rabelo


altMÁQUINA DO VENTO
Por: Tiago Henrique - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

BIFORCADO

Por um minuto
Pense mais um pouco
Isso se repetirá, repetirá e repetirá

Quantas chances?
Quantas mais?

Quando as pessoas dizem como são as coisas
Acredite, isso é sabedoria popular
Não se engane
Não se acanhe
Saia da bifurcação em que te encontras
A vida é muito breve
Para passá-la repetindo as mesmas coisas
Ou não.

altUM OLHAR
Por: Bruna Santos - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

A ordem do dia

Levante-se às 06:00 da manhã, vá ao banheiro, escove os dentes, tome banho, volte para o quarto, selecione as roupas, coloque-as no corpo, arrume os sapatos, e acessórios a utilizar, despenteie e penteie o cabelo, confira-se no espelho, saia do quarto, caminhe até a cozinha. Tem tempo para o café? Olhe para o relógio na parede, chave no portão, ponto de ônibus.
Pegue o ônibus, procure um lugar estratégico para sentar-se, a viagem é longa. Tire um cochilo, assuste-se com as curvas, acorde no engarrafamento, volte a cochilar, acorde novamente, hora de descer. Olhe no relógio, atravesse quarteirões, suba o morro, chegue. Sente-se. Agora dá tempo para café? Café, leite, pão, suco, mamão. Trabalhe, digite, leia. OPA! Reunião! Anote, argumente, entenda. Sente-se, navegue na internet, produza, converse, troque “figurinhas”. Almoce. Arroz, feijão, carne e saladas. Saia e pague contas, bata pernas nas ruas, volte ao trabalho. Sente-se, ensine, fique com sono, beba bastante líquido, questione, aprenda, volte a produzir. Reunião , anote, argumente, entenda. Café da tarde. Tranquilidade, converse, sorria. Hora de embora.
Faculdade. Estude, leia, participe, colabore com a atividade extracurricular. Discuta com o grupo, finalize trabalhos. Aula, preste atenção, prestigie, acrescente, produza questionamentos. Lanche. Aula, apresente, argumente, discurse, ouça, absorva todo conteúdo possível.
Hora de ir pra casa. Van, trânsito, barulho, olhe no relógio. 23:30h. Chegue em casa, alimente-se, veja TV, organize-se para o outro dia, , tome banho, coloque pijama, deite na cama. Não se esqueça de colocar o despertador. Levante-se às 06:00 da manhã...


altLEITURA E FORMAÇÃO DE LEITORES
Por Baltazar José Filho - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

O problema está na base.

Quando desejamos construir uma casa bem sólida e que não apresentará rachaduras em pouco tempo será preciso então que seja feita uma base forte e com materiais resistentes e de boa qualidade, caso contrário será inevitável e em breve começarão a aparecer os sinais de uma base mal feita. Ao ler a Revista Betim Cultural pela primeira vez, pensei no papel importante que ela desenvolve como despertadora de consciências críticas, as matérias que são escritas aqui desejam informar e formar.
Nesta semana trago para vocês uma reportagem que saiu no Jornal Estado de Minas na sexta feira dia 18 de novembro onde a chamada da matéria informava que o MEC ameaça cortar vagas de 85 faculdades em Minas Gerais, nas áreas de saúde, administração e ciências contábeis com base no Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes). Esta avaliação é realizada quando o aluno entra na faculdade e também quando está se formando, avaliando seu aprendizado, a instituição, o corpo docente. Bem, analisando esta reportagem podemos notar que o problema não está aí nas faculdades e sim bem antes. Paulo Freire em seu livro Educação como prática da liberdade nos diz que: “Não basta que o povo imerso no seu silêncio secular emerja dando voz às suas reivindicações. Ainda deve tornar-se capaz de elaborar de maneira crítica e prospectiva a sua conscientização de maneira a ultrapassar um comportamento de rebelião para uma integração responsável e ativa numa democracia a fazer, num projeto coletivo e nacional de desenvolvimento". Quando Freire coloca que o povo deve se tornar capaz de elaborar um projeto para suas reivindicações ele quer dizer que em primeiro lugar as pessoas precisam ser formadas para isso desde a escola primária e ao longo de sua formação na prática educação para a liberdade e não para a educação para a opressão.
A autora Maria Helena Souza Patto em seu livro ‘A produção do fracasso escolar’ nos diz o seguinte: “A escola pública de 1º grau (ensino fundamental) falha na sua tarefa básica de alfabetização das crianças das camadas populares, excluindo-as precocemente de seu interior, através de um mecanismo de rejeição que opera duplamente, pois a escola não aceita a criança como ela é, e a criança não aceita a escola tal como ela funciona”. Vemos um pequeno esforço em direção a uma mudança neste aspecto da escola pública das séries iniciais, no entanto há muito que se fazer. As vagas que podem ser cortadas pelo MEC são de faculdades particulares e grande parte dos estudantes que lá estão, são alunos vindos da escola pública com uma má formação desde o princípio. Não é geral, mas é grande o número. A autora ainda coloca que: “As explicações do fracasso escolar baseadas na teoria do déficit e da diferença cultural precisam ser revistas a partir do conhecimento dos mecanismos escolares produtores de dificuldades de aprendizagem”. E ainda “O fracasso da escola elementar é administrado por um discurso científico que, escudado em sua competência, naturaliza esse fracasso aos olhos de todos os envolvidos no processo”.
O que precisamos então é rever como está a base de nossa casa-escola e assim prevenir as rachaduras futuras no ensino superior. Pensemos nisto.
Para esta matéria usei o livro do autor Paulo Freire ‘Educação como prática da liberdade’. O livro da autora Maria Helena Souza Patto ‘A produção do fracasso escolar’. E o jornal Estado de Minas de 18 de novembro 2011.
Abraço a todos e lembrem-se Ler é se formar é libertar-se.


AS AVENTURAS DE KILL | por Cristiano de Oliveira

altKill e seu vasto vocabulário!


ESPAÇO ABERTO VIRTUAL
William Lagos: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. | Bagé, Rio Grande do Sul

METASSONETO XII

Existem hoje em dia, nas floristas,
cortadoras de espinhos das roseiras...
Fazem buquês como malabaristas,
envoltos em folhagens pelas beiras...

E nesses ramalhetes, dão certeiras
alçadas de suas fitas, cores mistas...
Mas os espinhos não ferem nossas vistas,
que nem sempre enxergam coisas verdadeiras...

Só que eu não soube cortar os seus espinhos,
ainda que fosse ternamente rosa,
não furei dedos e nem o olhar assim...

Mas em suas flores pousam passarinhos:
sei que sua alma, ainda suave e perfumosa,
vive em Marrocos, no palácio de Aladdim...

MEMÓRIA DO MUNDO

alt
E com vocês: o 14 Bis!

ARTISTAS NOSSOS DE CADA DIA

altContinuação com mais obras de Alexandre Órion. As imagens da Metabiótica misturam fotografia e pintura de intervenção urbana, para confirirem mais informações sobre o artista visitem a edição anterior deste semanário.

alt
alt


alt

SOM DA SEMANA: 14 Bis

altQuando Cláudio tinha nove anos e Flávio dezoito, em 1968, o tenente Castro Moreira, ou melhor, Vermelho - cujo cabelo cor de fogo não deixava dúvida sobre a razão de seu apelido- entra no cenário musical dos Venturini. O futuro tecladista, arranjador e compositor do 14 BIS conheceu Flávio , em fins de 68, quando ambos serviam juntos no CPOR, com a música e o piano como elementos de ligação de um companheirismo que atravessaria décadas. O embrião do 14 BIS já estava em formação.
Dona Dalila, mãe de Flávio e Cláudio, que sempre se dedicou ao ramo da hotelaria, além de ser grande incentivadora do talento musical da prole, alugou um quarto para o novo amigo de seu filho. Cláudio era ainda muito menino para ser aceito na roda dos rapazes, que se divertiam compondo para as namoradas - a primeira música que fizeram juntos se chamava Eliane-, cantando a duas vozes canções de Simon & Garfunkel, além dos Beatles, é claro. Em geral, compunham a música juntos e Vermelho escrevia a letra. A partir das suas participações em festivais, ainda em BH, conheceram outros letristas com quem também compuseram, como Murilo Antunes e Márcio Borges.
A primeira participação dos dois em festival aconteceu em 69, no Festival Estudantil da Canção de Belo-Horizonte, que abriu as portas para a convivência com aqueles jovens músicos - Beto Guedes, Lô Borges, Tavinho Moura, Toninho Horta, Túlio Mourão - que mais tarde vieram a fazer parte do Clube da Esquina, com certeza o mais importante movimento musical da história recente de Minas, com enorme repercussão na MPB. Mas foi no Festival Universitário, quando "Espaço Branco" (Flávio e Vermelho) tirou o segundo ligar defendida pelo grupo Terço - em sua primeira formação com Sérgio Hinds, Vinícius Cantuária e Jorge Amiden - que sentiram que o sonho poderia tornar-se realidade.
A continuação desta linda história você encontra visitante a fonte no site oficial do 14 Bis .


PEQUENO ENFOQUE

Tá Reclamando de todos os politicos ao nosso redor na atual visão do Brasil? Dos mais 300 picaretas do Congresso?Brasileiro Reclama De Quê?

O Brasileiro é assim:
1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.
2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.
3. - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.
4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, e até dentadura.
5. - Fala no celular enquanto dirige.
6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.
7. - Pára em filas duplas, triplas em frente às escolas.
8. - Viola a lei do silêncio.
9. - Dirige após consumir bebida alcoólica.
10. - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.
11. - Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.
12. - Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.
13. - Faz " gato " de luz, de água e de tv a cabo.
14. - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
15. - Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.
16. - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.
17. - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.
18. - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.
19. - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.
20. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.
21. - Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.
22. - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.
23. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.
24. - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.
25.. - Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.
26. - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis.... como se isso não fosse roubo.
27. - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.
28. - Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.
29. - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.
30. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

E quer que os políticos sejam honestos... Se a sociedade não é !!!
Os políticos são apenas uma amostra da nossa sociedade. Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não?
Brasileiro reclama de quê, afinal?
E é a mais pura verdade, isso que é o pior!

 

"Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos exemplos..."

 

A mudança deve começar dentro de nós, nossas casas, nossos valores, nossas atitudes!


EVENTOS

Apoiado pela Fiat Automóveis, jovens do Valores de Minas apresentam espetáculo gratuito sobre a história da música brasileira.
Cerca de 400 jovens atendidos pelo Projeto Valores de Minas se apresentam no espetáculo “A Lira e o Tambor”, até o dia 4/12, no espaço Plug Minas, em Belo Horizonte, com entrada gratuita. Resultado do processo de aprendizado, o espetáculo envolve todas as áreas artísticas do Valores de Minas: dança, música, teatro, circo e artes plásticas.
O processo de criação dos espetáculos do Valores de Minas está dentro de um plano pedagógico e valoriza tanto o resultado em si, a obra, quanto o processo de criação. “É no encontro com o público que o ciclo se completa, transformando a vida dos jovens, e os conscientizando do seu importante papel social”, revela Samira Ávila, coordenadora executiva e diretora artística do programa.
O diferencial do projeto é que todos os integrantes têm voz ativa para propor e refletir sobre o espetáculo, transformando-o em algo “seu”, onde os jovens são mais que atores na Obra, mas sim os verdadeiros autores. Este método de criação compartilhada deu inicio no espetáculo Metrópole (2009) e firmou-se como processo de criação do Programa Valores de Minas.
“Investir em cultura é contribuir para democratizar o acesso à atividade artística, valorizando a diversidade das suas manifestações. Acreditamos que isso incentiva o desenvolvimento e abertura da mente e do imaginário coletivo de todas as camadas da população”, explica Ana Luiza Veloso, coordenadora de Relacionamento com a Comunidade da Fiat Automóveis.

30/11/11 - quarta-feira - Uma sessão - 19h30
01/12/11 - quinta-feira - duas sessões - 16h00 e 19h30
02/12/11 - sexta-feira - Uma sessão - 19h30
03/12/11 - sábado - Duas sessões - 16h00 e 19h30
04/12/11 - domingo - Uma sessão - 19h30

Local: PLUG MINAS – Núcleo Valores de Minas
Rua Santo Agostinho, 1441. Horto
Informações: 3273-7171
Ingressos: Os ingressos serão distribuídos no Plug Minas duas horas antes das sessões, sujeito a lotação do teatro.


PONTOS DE CULTURA E ARTE

alt


EDITAIS

Devido aos demais editais ainda estarem abertos foi decidido reprisá-los para que a informação se apresente no prazo correto dos mesmo!


Artes Cênicas

Edital Cena Aberta, do Centro Cultural da UFMG, seleciona projetos nas áeras de Artes Cênicas - teatro, dança, circo, performance - ou ópera. Período de ocupação - dezembro 2011 a novembro 2012. Mais informações, acesse: www.ufmg.br/centrocultural/

Link
Artes Plásticas

A Galeria Nello Nuno da Fundação de Arte de Ouro Preto - até dia 2 de dezembro - www.faop.mg.gov.br


Eventos Culturais

Inscrição de projetos no Edital do Institut Français para eventos culturais em 2012. Uma primeira chamada deste edital acontece entre outubro e novembro para projetos que se realizarão no ano seguinte. Uma segunda chamada acontece entre março e abril para os projetos que que se realizarão entre julho e dezembro do mesmo ano. As datas exatas de cada sessão são informadas no site do Institut Français: http://institutfrancais.com


Livro e Leitura


UTILIDADE PÚBLICA
Seguem informações sobre mais um canal para a defesa do consumidor.
NOVO PROCON - (VC PODE PRECISAR)

"PROCON é coisa do passado.
A Revista Exame traz uma reportagem sobre um site chamado "Reclame Aqui".
A ideia é que seja um mural (ESPÉCIE DE MURO DAS LAMENTAÇÕES) onde as pessoas expõem suas queixas sobre serviços ou produtos, visível a todos que acessarem o site. O interessante é que, sem burocracia, os problemas são solucionados com mais rapidez.

Quando um consumidor reclama de um produto de alguma empresa, essa empresa recebe um e-mail dessa queixa. E como a empresa preza por sua imagem, ela tende a ser eficiente na solução, que será aberta ao público. O que tem dado muito certo, já que 70% dos casos são resolvidos! E o tempo médio é de menos de uma semana, diferente do PROCON que tem a média em 120 dias.
Lá vai o site: www.reclameaqui.com.br


AGENDA TEIA CULTURAL MINAS
Aguardando Atualizações

Mais Artigos...

Página 26 de 27

<< Início < Anterior 21 22 23 24 25 26 27 Próximo > Fim >>